26 de outubro de 2006

FALAÍ - AMOR

O que é o amor ?
Luís Vaz de Camões, poeta português, nos dá sua resposta, ainda que de uma forma inexplicável e contraditória:

Amor é fogo que arde sem se ver,
É ferida que dói e não se sente,
É um contentamento descontente,
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que ganha e se perde.

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.

(...)
-Vejamos então uma definição do amor de Abraham Maslow:

“O amor é uma forma de inter relacionamento pessoal baseado mais em fatores mentais e emocionais do que em pura sexualidade, embora esta lhe seja indispensável e o complemente.

O amor é uma capacidade de transcedência, ou seja, existe quando somos capazes de nos colocar na posição de outrém: é um ato gratuito de oferenda, contrário ao egoísmo, contrário ao sentimento de posse, é a felicidade de poder fazer outra pessoa feliz, o respeito e a consideração pelo outro, o compartilhamento das possíveis desgraças, enfim, uma emoção altamente positiva que contribui para a realização do indivíduo como ser humano.”

- Bem, como já vimos, definir o amor é algo impossível, sem dúvida! E já que o amor é tantas vezes incompreendido, deixado de lado, confuso e ao mesmo tempo “o mais importante” sentimento, decidimos entrevistar alguns jovens sobre esse tema. Fomos às ruas e abordamos as seguintes questões:

- O que é o amor?
- Você acredita no amor?
- “Ficar” está ligado ao amor?
- Existe idade certa para amar?

A partir da nossa entrevista concluímos que:
Embora, às vezes, pareça que os jovens não sabem muito bem o que é o amor, eles foram praticamente unânimes nas respostas.

Para a maioria dos jovens o amor é algo verdadeiro e para a vida inteira, algo eterno, e que é indispensável; mas que muitas vezes esta sendo deixado de lado e pouco cultivado. O amor as vezes é até confundido com loucura, obsessão.

Em relação ao “ficar” a maioria acha que esse tipo de atitude não é amor, ou seja, ficar por ficar com alguém é só curtição, algo sem compromisso. E amor para ser amor exige compromisso e responsabilidade. Desta forma uma pessoa amada seria completa, plena e auto realizada, pois o amor não escraviza, não prende, não destrói. Pelo contrário, o amor é livre, não há idade para vivenciá-lo, desde que seja bem interpretado.

Bom galera, é isso aí. Nós nos esforçamos para criar uma certa reflexão sobre o amor! Pois só iremos dar a devida importância à alguma coisa se refletirmos sobre ela.
Um abraço!!!!!!!!
Turma de Sandovalina
(1º EM, Juliane de Cássia dos Santos e Camila Menezes de Lima, Priscilla Sena, 8ª série)

1 Comentários:

At 2 de novembro de 2007 12:29, Blogger Marilza falou...

Juliane, Camila e Priscilla,

Que maravilhosa iniciativa a de vocês! É de emocionar e a idéia de entrevistar os jovens sobre o que acham do amor, do "ficar", foi realmente muito criativa. Vocês estão de parabéns!
Vou reproduzir algo que busquei no livro "O valor de educar", de Fernando Savater, que estava já estava lendo e que, quando li a poesia e o texto que escolheram para falar sobre o AMOR:

"Nascemos humanos, mas isso não basta: temos também que chegar a sê-lo (...) Lembremos o que Píndaro, poeta grego, recomendou enigmaticamente: Chega a ser o que és."
Beijos mil para vocês
Marilza

 

Postar um comentário

<< Home